1 de out de 2014

Fora de controle 2ª Temporada - cap 1

Perdida nesse momento, E o tempo continua passando, E se eu pudesse ter apenas um desejo, Eu desejaria ter você ao meu lado.


A senhora cansada e com olheiras perceptivas a distância mais uma vez chorava sobre a cama de sua filha no hospital, 3 anos em coma, já não suportava mais, não suportava mais ver sua filha naquele estado, apertou a mão de sua filha e o quão grande foi surpresa ao sentir sua mão ser apertada de volta, levantou o olhar vendo aqueles olhos azuis e ficarem cheio de confusão. o choro ficou preso em sua garganta enquanto tentava fazer seus olhos acreditarem no que viam... por segundos ficou parada apenas a olhando até finalmente cair em si, sua filha, sua filha acabara de acordar. 



levantou-se depressa correndo pelo corredor enquanto chamava um médico... 
sentada em uma poltrona esperava impaciente pelo médico, suas mãos suavam tamanho era seu nervosismo, será que sua querida filha ficaria bem? será que haveriam sequelas? 
levantou-se quando viu o médico se aproximar, Dr Arthur era o nome dele, cuidou do caso de sua filha desde o começo, sempre acompanhando tudo de perto.

-E então? -perguntou deixando seu nervosismo transparecer em sua voz--é um milagre, sinceramente não achamos que ela sairia desse coma, não desistimos do caso dela por insistência sua e agora vejo que valeu a pena, pelo que me parece ela está muito bem, não há sequelas, faremos alguns exames apenas para termos absoluta certeza, se você estiver de acordo é claro.

- claro, claro, façam tudo o que precisar -proferiu sorrindo como a muito tempo não fazia- obrigado Dr Arthur, obrigado - o abraçou deixando-o sem graça-
- não me agradeça, eu fiz o meu trabalho -sorri-....
Samantha observava a tudo totalmente perdida, onde estava? onde estava Justin? o que estava acontecendo afinal? uma hora estava em um festival de música e na outra em um quarto desconhecido.
viu sua mãe entrar no quarto e sentar-se ao lado da cama onde encontrava-se deitada.





-mãe?- oi meu amor, como se sente?- eu... onde eu estou?- no hospital, não se lembra? - perguntou com preocupação--lembrar? do quê?- querida, você sofreu um acidente a 3 anos atrás e está em coma desde então.
Samantha engasgou-se com a própria saliva, em coma? 3 anos? mais e Justin? sua irmã? sua mente não conseguia processar aquilo, céus, que porra tava acontecendo?

-  quantos anos eu tenho mãe? -perguntou não contendo as lágrimas- - 20 meu amor, o que você tem? porquê está chorando? deveria está feliz. -a mãe proferiu sem entender ao certo o que acontecia ali-
-eu tenho 17 mãe, 17 anos.- você tinha aline, antes do acidente.- eu quero o Justin, eu o quero agora -gritou em prantos-- Sam acalme-se, o que Justin tem haver com isso meu amor? como conhece o marido da sua irmã?
Samantha travou por alguns segundos sem acreditar no que acabara de ouvir, marido? marido de sua irmã?
- marido?-sim querida, eles se casaram a 1 ano. - não, não pode ser, eu quero o Justin, eu quero o Justin - voltou a gritar em desespero enquanto chorava e soluçava sem parar- eu quero vê-lo

gritou mais alto assustando sua mãe que tentava a todo custo acalmá-la, saiu do quarto chamando por Dr Arthur que rapidamente foi ao quarto dando a Sam um calmante que a fez dormir quase que de imediato

horas se passaram desde o acontecido, Sam agora acordada olhava pra parede branca, sem vida, tentava processar tudo aquilo, como era possível? tudo o que viveu, tudo o que passou fora apenas um sonho, um sonho.. como? era difícil acreditar, e Justin, Justin era casado com sua irmã, sentia seu peito doer a cada vez que pensava na frase de sua mãe.

virou ao ouvir o som da porta sendo aberta e seus olhos quase saltaram das órbitas ao vê-lo ali, parecia ser mais velho que si uns 5 anos, já que o que vivera fora um sonho não sabia ao certo quantos anos ele tinha, seus olhos ficaram úmidos e logo as lágrimas começaram a cair incessantemente. o mesmo se aproximou e sentou-se no banco ao lado, no mesmo instante foi agarrado por Sam que não conseguiu se segurar tendo-o tão perto, sem saber o que fazer Justin apenas correspondeu, não podia simplesmente empurrá-la, seria grosseria de sua parte.




-Justin - sussurrou soluçando ao final- - sua mãe disse que você queria me ver, não sei como você me conhece, afinal, no dia que iriamos nos conhecer você sofreu o acidente.
-eu já te conheço - sussurrou se acalmando-- mais co...-apenas me abraça -o interrompeu-

opa opa minhas lindas, olha eu de volta aqui, que maravilha voltar a escrever pra vocês, se fico ou se vou só depende de vcs, mais e ai, o que acharam da reviravolta na história? ainda vem muita coisa por ai;

e só pra começar bem que tal 10 comentários?

22 de set de 2013

Hate that i love you - Eu odeio amar você - Final

"A uma linha tênue entre o ódio e o amor, mais no final, o que realmente prevalece?"

- Capitulo 15 - Final -

dirigi mais rápido -gritou Justin deixando konan nervosa- 
cala a boca porra, a culpa foi sua -gritou pisando firme no acelerador- 
a culpa não é minha se você não sabe segurar seus gemidos. -rir-
você tinha que me encochar daquele jeito justo durante um roubo? -irritada-

- Flash back on

konan estava abaixada , quase de quatro enquanto colocava o dinheiro do cofre em uma enorme bolsa, Justin estava atrás da mesma apenas observando, ao seu ver, a bunda perfeita de konan

"visão do paraíso" pensou lambendo os lábios, caminhou devagar se aproximando de konan e abaixou-se devagar bem perto da mesma e subiu de novo trazendo konan consigo encochando-a perfeitamente, com o susto e o prazer que sentiu konan soltou um gemido alto chamando a atenção dos policiais que estavam do lado de fora do cofre.
entraram no mesmo por um túnel subterrâneo por isso tinham que fazer silêncio.

filho da puta -gritou konan pulando no túnel e deixando a bolsa de dinheiro-
também te amo -proferiu Justin rindo travesso e a seguindo-

- Flash back off

 desculpa, é que eu não resisti quando te vi abaixada daquele jeito pegando o dinheiro -falou divertido pondo a mão na coxa de konan- 
porra Justin para com isso, estamos sendo perseguidos por 7 viaturas.
-rir- desculpa, é que o perigo me excita 
-revira os olhos- idiota, abre a porta
quê?
abre a porta, e quando eu contar até 3 nós dois pulamos -proferiu destravando a porta do seu lado-
certo
1, 2, 3 

ao final os dois pularam fazendo o carro continuar a andar sozinho, as viaturas passaram direto seguindo o carro sem motorista, konan correu pro lado onde Justin avia pulado procurando-o, viu uma pedra com sangue e se desesperou

JUSTIN -gritou-

sentiu alguém agarrar-lhe por trás e tampar-lhe a boca assustando-a

to aqui amor -sussurrou fazendo konan se arrepiar-
-se solta- filho da puta -irritada- não faz isso, eu pensei que você tinha batido a cabeça na pedra e se machucado.
não, foi só um corte no braço -rir- 
palhaço, agora vamos, os policiais já devem ter notado que não tem ninguém no carro e vão nos procurar por aqui
certo chefe -brinca-
repetindo, idiota- revira os olhos-

desceram pelo barranco já conhecido por eles e colocaram-se a correr pela floresta sempre de mãos dadas pra não se perderem um do outro, correram até chegar do outro lado encontrando outra pista, do lado oposto a pista tinham duas bicicletas, Justin olhou aquilo não acreditando.

foi você que colocou elas ali?
foi -respondeu konan-
já sabia que eu ia te encochar é? -sorri malicioso-
não seu idiota, coloquei elas ali pro caso de algo dá errado, mais não achei que iriamos usá-las

falou atravessando a pista e pegando uma das bicicletas, Justin fez o mesmo e ambos começaram a andar lado a lado.

te ensinei bem. -sorri-
é, você é um ótimo professor
e a aluna supera o mestre -rir=
frase feita comigo não cola -rir-

ambos pedalaram por vários quilômetros até chegarem em uma praia deserta, esconderam as bicicletas atrás de algumas pedras e caminharam até a beira da praia sentando pra descansar, a água vinha molhando ambos os pés e voltava.

idiota -konan murmurou sentindo-se pesada pelo cansaço-
que foi? 
ainda não acredito que fez aquilo durante um roubo
a culpa não é minha se você é gostosa.
a culpa não é minha se você é um tarado no cio

Justin riu e se levantou sentando atrás de konan deixando-a entre suas pernas

mais você bem que gama nesse tarado

sussurrou lambendo o pescoço da mesma fazendo-a ter uma hemorragia nasal, Justin riu vendo-a tentar se limpar, era engraçado,adorava quando ela fazia isso, tirou a própria blusa entregando pra mesma limpar o sangue.

sabe, eu odeio amar você{hate that i love you} -proferiu Konan rindo-
-rir- eu também..

The End...



o que acharam do final? prontas pra próxima história?
que tal 15 comentários em comemoração a conclusão de mais uma história aqui no blog?

comentem para a próximo história, estilo complicated

engraçado, vocês pediram pra eu não desistir do blog, pra continuar a história, mais e o aumento de comentários ? cadê?
depois de tudo isso vão querer que acabe



















não deixem isso terminar 




21 de set de 2013

Hate That I Love You - Orgulho

"Bom, às vezes a vida é dura, mas eu tenho muita coisa para agradecer."

- Capitulo 14 -

...  

3 semanas depois

o julgamento do Justin é daqui a 3 dias -proferiu Ryan-
eu já tenho um plano pra tirá-lo de lá -falou konan- 
e qual é?
é o seguinte...

depois de fugirem, foram pra outra mansão de Justin, o mesmo tinha várias espalhadas por toda a cidade, agora encontravam-se no meio de uma floresta, a mansão encontrava-se bem no final dela encoberta por várias e várias árvores assim como a outra, essa mais escondida e difícil de ser encontrada, por toda a floresta que rodeava a mansão tinham caixas de som instaladas que emitiam sons de animais selvagens sempre que alguém entrava na floresta.

3 dias depois


Por assassinato, estupro, contrabando de armas e mulheres, posse ilegal de milhares de propriedades, sequestro, roubo de bancos, tortura a várias mulheres, Justin bieber, você está condenado a cadeira elétrica. -ditou batendo o martelo- você será executado daqui a exatas 5 horas.

ouve um alvoroço no tribunal, Konan ouvia e observava a tudo sem expressões, a juíza saiu e todos os outros que estavam ali fizeram o mesmo, konan levantou-se junto a Ryan que foi o único que a acompanhou e saiu dali.

vamos por o plano em prática. 
é muito perigoso konan.
eu não vou deixar o homem que eu amo morrer só por quê você tem medo de arriscar salvá-lo, se não quer me ajudar não me atrapalhe, não se meta no meu caminho.
-suspira- to contigo -dando-se por vencido-
ótimo

...

prestem atenção seus animais -gritou konan chamando atenção de todos- eu tenho um plano pra tirar Justin de lá, temos exatamente 5 horas pra colocá-lo em prática, agora que Justin foi preso não importaram-se em reforçar a segurança no local onde ele será executado, provavelmente pensaram que nada poderia acontecer, terão 12 policiais espalhados pelo lado de fora do local, apenas 8 de vocês irão comigo,fora Ryan, Chaz, Chris e eu, que somos os que formamos os 12, tirem essas roupas de batalhão do tráfico e coloquem roupas de verdade, iremos circular como pessoas normais até o meu sinal, o meu sinal que será um aceno, cada um de vocês apagará e esconderá um policial, claro, não antes de roubar e vestir as roupas deles, com isso, chamaremos menos atenção, ao término, entraremos facilmente no local, onde encontraremos um padre, a juíza, e 3 policiais, prenderemos os que tiverem lá dentro em uma cela e tiraremos Justin de lá voltando para o ponto de partida, ou seja, aqui, vocês irão circular por perto do local que vocês já sabem onde é, já sabem o que fazer, agora vamos, vistam-se -gritou-

...

konan caminhava perto de onde Justin seria executado vestida de colegial, sorria fingindo mexer no celular enquanto era observada por um dos policiais, aquele seria o seu, levantou a mão acenando fingindo ver um conhecido e cada um entrou em ação, konan caminhou rumo ao policial que lhe secava e sorriu.

oi, pode me ajudar?
sim moça, pode falar.
pode me dizer onde fica essa rua?

konan entregou o papel a ele que leu o nome da rua e entranhou, que tipo de rua chamava-se olhe "olhe pra baixo"? voltou a olhar pra ruiva e a mesma chutou o meio de suas pernas, foi ai que ele entendeu o nome da rua, konan bateu com uma arma contra a nuca dele o apagando, o levou até um banheiro químico ali perto, o despiu e vestiu as roupas dele, sorriu vitoriosa saindo dali e indo de volta pro local encontrando os outros.

tudo certo? -perguntou-
sim -responderam em coro-

todos entraram seguindo por um extenso corredor, a ação foi rápida, imobilizaram primeiro os policiais e konan imobilizou a juíza jogando todos dentro da cela mais próxima.

vamos padre, entra ai -pediu konan abrindo a cela-
você não pode fazer isso.
cale a boca padre.

konan pegou as chaves que avia sido tirada do policial e soltou Justin da cadeira, o mesmo levantou-se e a abraçou forte

ao ponto de partida -gritou konan-

todos saíram correndo, konan riu jogando as chaves perto da cela, perto o suficiente pra que pudessem se soltar, saiu correndo com Justin dali.

Justin a olhou enquanto corriam e o orgulho apossou-se de si, ela avia aprendido direitinho.

...


+10 comments 


penúltimo cap


19 de set de 2013

Hate That I Love You - apenas por você

"A gente pode minimizar as coisas, mas não mudá-las completamente."

- Capitulo 13 -

que tal obedecer algumas ordens minhas? -perguntou ao ver konan voltar pra frente de sua mesa-
com todo... prazer. -sussurrou com a voz levemente rouca dando novamente duplo sentido a frase-

o deputado deu a volta na mesa e parou frente a konan, puxou-a pela cintura e a beijou, o homem não era de todo um velho feio, pelo contrário, devia ter na faixa de uns 30 anos, tinha o corpo forte, olhos azuis e cabelos castanhos, Afrodisíaco, correspondeu do mesmo modo, soltando um gemido provocativamente entre o beijo, Henrique desceu as mãos pra bunda da ruiva e a mesma sorriu minimamente empurrando Henrique, foi até a bolsa e fez algo nela logo depois colocando-a sobre o ombro.

o que está fazendo?
vamos ao ponto Henrique, uma carga que você encomendou a Justin foi roubada e eu quero que você mantenha o bico calado sobre isso.
e por que eu faria isso? não mandei ele não entregar a encomenda.
eu já disse, ela foi roubada, e .. se você distorcer os fatos e espalhar boatos sobre Justin para os outros compradores, esse video -mostra a bolsa câmera- vai parar na rede, imagine, Henrique, deputado casado e com filhos é pego aos amassos com assistente -rir- seria um desastre não é?
desgraçada.
oh, não me ofenda assim -fingiu está magoada= 
me dá essa bolsa
claro -konan jogou a bolsa pra ele- eu já enviei o vídeo pra todos os computadores da mansão de Justin, você pode destruir a bolsa mais eu vou continuar tendo o vídeo.
vagabunda -joga a bolsa no chão- eu vou te matar
se algo me acontecer, o vídeo vai parar na rede e em todas as emissoras de TV no mesmo instante

konan sorriu vitoriosa ao ver a cara do deputado e saiu dali o mais rápido que pode, suspirou aliviada ao encontrar-se fora do prédio, apesar de passar tanta confiança, estava tendo um ataque por dentro, voltou pra mansão entrando na mesma e sendo recebida por aplausos e assobios, todos da mansão estavam ali a sua espera,Justin caminhou até a mesma e a beijou fazendo os assobios aumentarem pelo beijo de cinema presenciado, o mesmo já tinha até esquecido que havia sido trancado no quarto por konan.

mandou bem ruivinha -sussurrou no ouvido da mesma-
apenas por você -sussurrou de volta-

...

2 semanas depois

Parados, é a policia

gritou um policial entrando junto a um batalhão de quase 50 policiais, tiros eram ouvidos do lado de fora enquanto Justin corria junto a konan e os primos entrando em um dos quartos

e quanto aos outros? -perguntou konan nervosa-
eles ficaram bem -proferiu Justin-
vamos Justin, vamos pra saída de emergência -pediu Ryan-
não dá tempo de nós todos sairmos, são muitos policiais 
e o que faremos? -Chaz-
vocês vão e eu os distraio, eu vou me entregar
você não pode fazer isso 
posso e vou, apenas por você
Justin...
eu te amo

o mesmo a beijou e pediu para os primos levarem konan, Justin saiu do quarto e desceu as escadas tendo todas as armas apontada pra si.

eu me entrego -gritou erguendo as mãos- 


+10 comentários

por causa dos comentários eu decidi continuar, mais preciso de leitoras, de comentários então comentem e me ajudem a divulgar o blog amores, não dá pra por um blog pra frente só com 8 leitoras. 


16 de set de 2013

Hate That I Love You - Deputado Henrique

"O tempo passa e a gente aprende nada aqui dura para sempre, eu sei tudo tem um fim seja ele bom ou ruim."
- Capitulo 12 -

2 meses depois

Justin, você não pode deixá-la fazer isso. -ditou Chaz preocupado-
ele tem razão Justin, se Henrique descobre ela tá morta. -proferiu Ryan tão preocupado quanto Chaz-
isso é loucura Justin, se é pra konan seduzir e transar com alguém, esse alguém tem que ser eu. -ditou Chris sério como se fizesse sentindo-
Chaz, Ryan, eu sei, e Chris, cala a boca e respeita minha mulher seu filho da puta.
tá bom, tá bom, seu egoísta. -falou Chris erguendo as mãos e referindo-se ao fato de Justin não dividir konan consigo, achava uma injustiça-
eu vou falar com ela.

Justin virou-se subindo as escadas. 
2 meses depois do ocorrido e depois de completamente recuperada konan decidiu ajudar Justin já que o mesmo ainda não tinha resolvido o problema com o deputado.
konan obrigou Ryan a raquear o computador de Henrique e colocá-la como assistente do mesmo e em seguida mandando uma carta falsa de demissão pra antiga assistente e uma carta de estou me demitindo pro deputado, claro, ninguém concordou com isso mais konan não estava disposta a voltar atrás, pelo menos não enquanto não ajudasse Justin.

mudou de ideia? -perguntou Justin entrando no quarto vendo konan vestir-se para o "trabalho" -
não, eu já disse que não vou voltar atrás.
e se te acontecer algo? -preocupado-
não vai -decidida- eu vou tomar cuidado, eu prometo.

konan o abraçou e sorriu de um modo confiante mais isso definitivamente não fez Justin sentir-se melhor.

você não vai -decidido- só por cima do meu cadáver 

konan sorriu travessa sem que Justin percebesse e o empurrou até a cama, foi até a porta fingindo trancá-la por dentro e apenas pegou a chave escondendo-a nos seios, voltou até Justin beijando-o com voracidade enquanto descia a mão até o membro do mesmo que gemeu com o contato, ficou na mesma por alguns segundos até ter Justin entregue ao prazer, levantou-se correndo pra fora do quarto e trancou a porta jogando a chave no chão.

abre essa porta agora konan.
se eu abrir você vai tentar me impedir.
eu vou te matar sua vagabunda.

Konan riu e desceu enquanto Justin continuava a chingá-la, passou pelos "idiotas" que estavam conversando, interragatório não faltou mais konan não respondeu a nada.

...

konan entrou no enorme prédio onde ficava o escritório do deputado apresentando-se como a nova assistente, subiu pelo elevador até o último andar onde ficava o escritório, caminhou puxando o decote deixando os seios mais a amostra, odiava ser vulgar, mais no momento era preciso.
bateu na porta apresentando-se como Lenna, a nova assistente, ouviu a voz forte do deputado do outro lado da porta mandando-a entrar, abriu a porta devagar e entrou fechando-a em seguida, parou em frente a mesa onde o deputado tinha  a cabeça baixa lendo alguns papéis e fingiu uma tosse pra chamar atenção.

ah, bem vind.. nossa

mudou a frase ao olhar konan, olhou-a com maliciosidade. 

você é bem diferente da rita.
mesmo? -sorri sedutoramente- devo ter uns 30 anos a menos
-rir- é verdade, então, por quê quis esse emprego? 
gosto de obedecer ordens -falou sorrindo maliciosa dando duplo sentido a sua frase-
mesmo? -perguntou entrando no jogo-
mesmo, mesmo.

konan brincou tirando a bolsa e colocando-a numa poltrona especificamente virada pra mesa,a bolsa era uma câmera disfarçada ...


+10 comentários

capa da próxima história

é parecido com complicated, um amor rebelde
comentem para que essa história possa acontecer.